França e Holanda querem que União Europeia regule big techs
16/10/2020 10:02 em Notícias

Poder360

França e Holanda defenderam, nesta 5ª feira (15.out.2020), que a União Europeia crie uma autoridade para regular as gigantes de tecnologia como Google e Facebook. A intenção é evitar que as big techs abusem do poder e favoreçam os próprios serviços em detrimento dos outros, prejudicando a competição. “Estas plataformas podem impedir a entrada de novas companhias e limitar a liberdade de escolha dos consumidores e empresários“, disse o governo holandês. A França tem se esforçado nas tentativas de regulação das big techs. Nesta 5ª (15.out), o ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, afirmou que o país começará a taxar as receitas de empresas digitais até dezembro deste ano. Na última 5ª feira (8.out.2020), o Tribunal de Apelações de Paris decidiu que o Google deverá remunerar os jornais franceses por conteúdo de notícias. As empresas também estão enfrentando tentativas de regulação nos Estados Unidos. Em 6 de outubro, o Comitê Judiciário da Câmara dos EUA concluiu que as big techs Google, Amazon, Facebook e Apple cometem abuso de “poder de monopólio” e recomendou reformas nas leis antitruste, além de reestruturações nas empresas. O Google tenta se antecipar às tentativas de regulação de alguns países. Anunciou que pagará US$ 1 bilhão a jornais em novo lançamento, o Google News Showcase. No entanto, os veículos que assinarem o acordo ficarão impedidos de ir à justiça contra a empresa por uso de conteúdo de notícias. Joshua Benton, diretor do Nieman Lab (laborátorio de jornalismo da Universidade de Havard), classificou o acordo do Google com os veículos de comunicação como uma ação preventiva de marketing e estratégia de relações públicas da empresa, em uma tentativa de agradar veículos de comunicação se desviar dos esforços de regulação dos países.

‘NOVA GERAÇÃO EUROPEIA DE NUVEM’

Nesta 5ª, países europeus firmaram 1 compromisso de construir uma nova geração europeia de fornecimento de serviços de nuvem e processamento de dados. “A UE tem agora uma oportunidade única de explorar a necessidade de mais compartilhamento de dados e processamento descentralizado de dados“, diz a declaração conjunta, assinada por 25 países membros. De acordo com a declaração, uma abordagem comum para a construção do fornecimento europeu de nuvens “reforçará a soberania digital da Europa e aumentará a competitividade das empresas e indústrias européias“. Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polônia, Portugal, Reino Unido, Romênia e Suécia assinaram a declaração.


 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!